Poemas em nome próprio
De renomes idos
Sentimentos lidos
Declamações mudas
Janelas de perspectiva infinda
Um diário livre


sábado, 10 de janeiro de 2015

farol

No imediato dessa hora,
o frescor da madrugada
e sua mansidão desperta,
a janela aberta,
o oceano em prece

a solidão é um acorde consonante
e temporário, eu sei,
que em instantes haverá urgências
desespero, fogo,
e serei destituído de meu posto.

À sombra do tempo,
à margem da atitude,
permanecerei atento,
olhos bem abertos,
até que me venham socorrer do sonho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário