Poemas em nome próprio
De renomes idos
Sentimentos lidos
Declamações mudas
Janelas de perspectiva infinda
Um diário livre


quinta-feira, 5 de agosto de 2010

paradoxo essencial

O maior defeito do poeta
é ingenuamente crer que todos verão
tudo assim como ele vê.

E sua maior virtude:
incessantemente crer que tudo pode ser visto
como fosse poesia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário